Qual a expectativa para o mercado diante da pandemia ?

A situação mundial está passando por uma mudança radical de perspectivas desde que a epidemia do novo coronavírus se instalou, o impacto econômico está criando grandes expectativas. O cenário não é dos melhores,  muitos segmentos estão parados, por conta da pandemia e comprometendo muito na economia.

Conversei com algumas pessoas, sobre a expectativa delas em relação a situação, dentro de suas áreas e ouvi suas opiniões.

Abdon Finardi – sócio Kia Power Imports

Acredito que este ano , será desafiador para o nosso setor automobilistico. A situação não mostra um cenário promissor, a nossa cadeia produtiva está cautelosa. As financeiras, não se posicionam com relação ao futuro, muito pelas condições, as quais os financiamentos e os juros , fator crucial para aquisição de um carro, ainda estão sem definição segura para oferecer crédito. É um momento muito novo e devemos ter cautela de fato. Estamos vivendo um desafio enorme. somente juntos, cada um fazendo a sua parte conseguiremos vencer o COVID-19.

Marcelo Antonio Perrone Sócio-Corretor do Grupo Smaniotto Imóveis.

“Vejo com otimismo o cenário futuro. Através das novas linhas de crédito das instituições financeiras para famílias de baixa renda, reestruturação do setor de construção civil e incremento de capital para maiores investidores, empresas locais com investimentos em outros estados e até outros países, acredito que será um bom ano. Acredito que não será como antes, pequenos e importantes valores serão valorizados, como os abraços, os carinhos e estar em família serão prioridade neste novo cenário.”

Lia Borsarini – Enfermeira – trabalha com terapia de ozônio

Acho que o rumo econômico de todos os setores vai diminuir, na minha área as pessoas vão selecionar os procedimentos , enfim as reflexões sobre a vida vão mudar a rotina das pessoas.

Dr Alexandre Ferian – Cirurgião plástico

A principal mudança de mercado é observada pelo isolamento e o medo, causando um afastamento dos Hospitais, mesmo dos pacientes com patologias. Foi observada uma redução drástica na internação de cardiopatias, infartos, infecções intestinais, etc. A maior parte dos pacientes está evitando internações em hospitais colonizados ou com grande fluxo de pacientes diagnosticados com COVID-19. Em contrapartida houve um aumento do número de pacientes procurando procedimentos realizados em clínicas e consultórios particulares, como blefaroplastia, preenchimentos, toxina botulínica, harmonização facial, mini lipoaspirações, correção de pequenos defeitos, etc. De um modo geral tratamentos mais simples, menos invasivos e com recuperação mais rápida, que não necessitam internação. Em menor escala estão as cirurgias de pequeno e médio porte, que são realizadas em hospitais menores, exclusivamente cirúrgicos e que não possuem PS ou atendimento emergencial, como por exemplo o Oftalmos – Hospital da Visão em Balneário Camboriú. As cirurgias maiores ou combinadas (lipo+ prótese silicone), que são realizadas nos hospitais de grande porte, estão sendo postergadas pelos próprios hospitais para conter materiais, EPI’s e leitos hospitalares, e também por precaução de contato. Essa é a perspectiva de mercado dos procedimentos estéticos, o tratamento menos invasivo contra o mais invasivo. Provavelmente as cirurgias maiores e mais complexas ou mesmo combinadas serão postergadas para daqui 30 ou 60 dias. Prevenir a alta demanda no período pós contensão, evitando a falta de datas, falta de horários ou overbooking com uma programação e agendamento prévios, para que pacientes não percam seus procedimentos por não reservarem antecipadamente suas datas.

Na área de eventos, a situação ficou bem complicada, difícil até de prever um futuro, pelo menos por enquanto. Muitos estão utilizando as plataformas da internet, explorando as lives.

Cristiano Lima – Banda Vintage Cult

Uma banda de sucesso, na estrada há anos, com grande repercussão e agenda lotada, de acordo com, Cristiano Lima, o segmento de shows e eventos foi o primeiro a parar e acredita que será o ultimo a retornar. Logo no início realizaram duas lives, uma delas beneficente, atingindo um pico de 32 mil pessoas que assistiram simultaneamente em várias plataformas, porem, a arrecadação foi baixa. Apesar de alguns bares estarem funcionando, a capacidade é reduzida, não é permitido colocar banda, no máximo, violão e voz, sem contar que muitos bares já exoneraram funcionários e muitos estão fechando. Como músico é classe autônoma, terão que se segurar, muitos possuem fundo emergencial, poupança, mas mesmo assim, acaba, pois não há previsão do mercado voltar, acredita que vai demorar a aquecer o mercado, mas, aguarda ansioso por  isso e torce para tudo acabar logo.

Daniel Montero – Músico

Dentro das expectativas, o que vem pela frente, a princípio, é o uso das plataformas como maneiras de arrecadação, em salas de vídeo fechadas, tipo para até 50 pessoas, criando todo um cenário de apresentação, estilo show. E se caso, surgir contratação para eventos pequenos, o ideal é tomar todos os cuidados exigidos, com distanciamento, assim, já é uma possibilidade de retorno interessante, salientando o uso da máscara nos ambientes,  do alcool gel, segundo ele, essa seria uma forma de adaptação diante da realidade apresentada.

Em se tratando de salão de beleza, também, existem mudanças.

Mateus Silva – Cabeleireiro

Em todos estes anos de cabeleireiro, uma crise como esta não tinha visto, como ninguém deve ter passado por isso, mas falando em minha área as coisas estão indo em passos curtos.

Trabalho em um salão em que temos uma clientela formada, então posso dizer que estamos (digamos assim) com o movimento de inverno, onde as pessoas não se expõem tanto e não vão aos salões de beleza tanto quanto no verão mas como sabemos que esse inverno será maior e mais rigoroso por causa do covid 19. A minha expectativa é otimista, moramos em uma cidade rica, onde as pessoas se preocupam com a aparência e isso faz com que tenhamos trabalho.
Mas tem um porém, tem muitos salões fechando, por motivos de não terem essa clientela formada e muitos por atenderem pessoas de baixa renda que terão outras prioridades antes de ir ao salão, esses me preocupam muito, porque não terão como aguentar meses de baixa.
Sempre fui otimista, nunca deixo que pensamentos e idéias ruins, passem pela minha cabeça então me esforço o máximo possível para que possamos passar essa fase da melhor forma.