JA8 Arquitetura Viva assina os jardins do novo parque de flores do Brasil

Localizado em São Francisco de Paula, na serra gaúcha, o Mátria Parque de Flores já está entre os maiores do mundo

O Mátria Parque de Flores, em São Francisco de Paula, na serra gaúcha, promete tornar-se destino obrigatório para as pessoas interessadas no universo botânico.  São 50 hectares de terra que acolhem áreas de preservação natural somadas à estrutura implantada para formar o local. Os 30 grandes jardins têm assinatura do escritório JA8 Arquitetura Viva e as edificações que abrigam lojas e restaurantes são de autoria da Alencar Arquitetura.

Os jardins possuem 7 milhões de mudas de plantas que florescem por estes campos criando uma vista mutante e absurdamente bela. Começaram a ser semeados há dois anos pelo escritório catarinense JA8 Arquitetura Viva, responsável pelo projeto paisagístico, que resguarda a sinergia entre a paisagem natural e a criada. A composição é considerada uma verdadeira obra de arte orgânica em grande escala, com diversas cores, texturas, aromas ao longo de 8 quilômetros de caminhos a céu aberto.

Os números do Mátria impressionam. O Lago Azul, no centro do parque, tem  30 mil metros quadrados de extensão. Por ali foram plantadas 8 mil mudas de árvores nativas, os jardins contêm 300 espécies diferentes de plantas ornamentais com destaque para o roseiral com 22 mil mudas de rosas que foram trazidas da Alemanha. Um túnel de 102 metros de extensão de Glicínias brancas e lilases, o maior do mundo, é passagem para uma vivência especial.

Clima e geografia

As características da região foram determinantes para o resultado do projeto paisagístico. Segundo a arquiteta e paisagista Juliana Castro, cada caminho e canteiro foi desenhado para oferecer aos visitantes a descoberta desta paisagem em camadas.

“A partir da leitura do terreno, identificamos traços e elementos naturais que deveriam se manter presentes como estruturantes de todo o projeto. Na macro escala, as linhas da topografia estabeleceram as formas dos caminhos. O grande lago foi eleito como elemento central, as áreas alagadiças foram preservadas como jardins naturais e a mata foi incluída no percurso dos visitantes. Na micro escala identificamos a vocação da flora nativa e estudamos as combinações possíveis”, explica Juliana, sócia de Clarice Castro no escritório JA8 Arquitetura Viva.

As profissionais se preocuparam em incluir espécies de herbáceas e arbustivas nativas para serem conhecidas pela população, e assim protegidas e preservadas. Outra característica intencional do projeto é despertar o flerte com o tempo. Ou seja, observar e perceber a beleza da transformação do espaço pela diferença de luminosidade do sol, pelo passar dos meses e estações, e pelo ciclo natural da própria vida.

Cada momento é único e irreversível, pois os jardins estão em constante movimento e impermanência. Toda época do ano haverá uma floração distinta, outra estética surgirá modificando a cena.

“Manteremos flores secando nos canteiros e folhas em transformação, apresentando a beleza do envelhecer e renascer a cada estação. Este planejamento requer grande cuidado e atenção. O contraste entre a floração nova e aquela que está acabando, entre os tons quentes e frios, acontecerá a todo instante”, complementa Juliana.

Os jardins receberam nomes com inspiração em memórias afetivas dos proprietários, nas artes e no universo botânico. O roseiral, por exemplo, remete à infância do empreendedor. As linhas sinuosas que sublinham os Jardins Suave, Lilás e Degradê descansam no terreno como pinceladas em uma ampla tela.

O das Magnólias, Cerejeiras e Vento marcam a presença escultórica das espécies que os compõem. E por falar em escultura, a obra Deslocamento, idealizada por Juliana, foi construída a partir da transposição de terra do próprio terreno. Para viver isso tudo no vai e vem do corpo, os balanços Tempo, de autoria do escritório JA8 Arquitetura Viva, convidam a intensificar a experiência sentindo o vento tocando a pele e a paisagem mover-se.

“Os jardins do Mátria foram projetados para o bem-estar, a alegria e conexão com o que temos de melhor: a arte e a natureza. Mátria é um projeto dinâmico, que jamais irá parar de se transformar, pois conta com o maior de todos os aliados para cumprir seu propósito: a vida”, defende Juliana.

O parque funciona diariamente, das 10h às 18h.

 Mátria Parque de Flores

(ERS 235, Km 68, São Francisco de Paula – Rio Grande do Sul)

Dias de funcionamento: diariamente, incluindo sábados, domingos e feriados.

Horário do parque: das 10h às 18h

Venda de ingressos: ingressos.matriaparque.com.br

Preços de ingressos: Adulto: R$ 119,00 Crianças até 11 anos: isentas Jovens de 12 a 16 anos: R$ 59,50 Sênior (60 anos ou mais): R$ 59,50 Moradores de São Francisco de Paula: R$ 59,50 PNEs e acompanhante: R$ 59,50

Forma de pagamento: – Venda online: à vista ou em até 3 x sem juros, nos cartões de crédito VISA, MasterCard, Hipercard, Diners Club, AMEX e ELO.

Crédito Jô Moreira.