Balbúrdia Cervejaria chega a Itajaí em junho

Brewpub quase duplicou a produção cervejeira para atender o novo endereço

 

            Após a estreia na Capital Brasileira da Cerveja há três anos, a Balbúrdia Cervejaria prepara a inauguração do segundo endereço, desta vez no Litoral catarinense. Como forma de expandir o negócio, a marca aposta em Itajaí, uma das cidades que mais cresce, responsável pelo segundo maior PIB do Estado. A estrutura está sendo construída na Rua Lauro Mueller, 1267, Bairro Fazenda e deve iniciar os trabalhos em meados de junho.

            Liderada por Jonathan Lessnau, engenheiro por formação que faz parte de um grupo de investidores que vê um mercado promissor para a cerveja artesanal, a cervejaria ainda conta com Fernando Lapolli, um dos criadores do estilo Catharina Sour, o primeiro estilo de cerveja brasileiro reconhecido pelo Beer Judge Certification Program.

            Considerada um brewpub, ou seja, um bar com cervejaria própria, a Balbúrdia ampliou a produção para atender o novo endereço, passando dos atuais 6 mil litros mensais para 10 mil. Atualmente, cerca de 80% do que é produzido pela fábrica é consumido no bar próprio. “Nós já fabricamos mais de 100 receitas diferentes e a ideia é continuar explorando para apresentar sempre novidades. Mas temos aquelas que nunca podem faltar, que são a Pilsen e a IPA (India Pale Ale)”, conta um dos sócios da cervejaria, Rafael Marghotti.

Estilo diferenciado

            Além de ser um brewpub, a Balbúrdia possui um estilo diferente de atendimento, que deve surpreender Itajaí tanto quanto fez em Blumenau. Ao todo, são 35 torneiras para que as pessoas se sirvam diretamente no balcão, trocando ideias com os atendentes e, até mesmo, fazendo prova dos estilos antes de concluir a escolha. O primeiro piso do bar segue o manifesto da marca de reunir e fazer amigos, com mesas compartilháveis. Já o piso superior, sempre embalado por músicas pop rock, é mais voltado para quem quer dançar enquanto aprecia uma boa cerveja. A quantidade de torneiras e a rotatividade dos rótulos é a principal forma de cumprir um dos objetivos do negócio, que é a democratização da cerveja artesanal. “Aqui tudo é possível, você pode trazer uma cerveja especial para experimentar com os amigos, pode dividir um growler com a galera. Nós queremos ser um ambiente acessível e justo para que todos apreciem uma cerveja artesanal de qualidade”, afirma Marghotti.